segunda-feira, 26 de abril de 2010

Notícias:Começo da gravação!

Bom desde o começo dos ensaios, a música das cenas está só na minha cabeça.Durante o processo eu apresento apenas uma célula, uma melodia, uma idéia, o resto está na minha "cadeca".
Hoje dividi essa idéia com outras pessoas que também tem um mundo de sons na cabeça, e nós gravamos algumas delas. É muito bom, partilhar música, só espero que elas sirvam para as cenas...hehehe.
Nesse primeiro dia nós gravamos a música para o prólogo e para as primeiras cenas, e é claro o rock! Não vejo a hora de botar pra fora as outras idéias q não páram de tocar nos meus neurônios! Quinta a gente vai gravar mais algumas e também trabalhar na mixagem. Quero agradecer ao grupo do qual faço parte o Pangea Musical,ao Bonin e ao meu professor Caio Nocklo, sem a camaradagem deles minhas idéias continuariam na minha cabeça. Passarinhos calmate,logo eu mostro elas pro ces!
Beijos!!!

domingo, 25 de abril de 2010

"SOMbreVoar"

Para mim este é um trabalho,como toda criação, de ousadia! E não podería ser diferente, essa é a essência com a qual estamos lidando... Muitas sementes já foram plantadas no "Sobrevoar", e estou tendo a honra de acompanhar o crescimento e até de regar uma delas,não sei qual fruto sairá desse plantio, mas todo fruto é bom por natureza. E é claro não agradará a todos os paladares... Mas a parte que me cabe que é cantar,cantarolar,musicar essa peça, é também um momento de vôo, a minha proposta é criar,compor e não apenas inserir  uma música para "dar um clima"... É um trabalho artesanal,instigante e de paciência.
Bom passarinhos vocês estão fazendo um ótimo trabalho e me inspirando muito!
Obrigada!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Nota Informativa: Dumont um Aeronauta!

Alberto Santos Dumont contorna a Torre Eiffel com o Dirigível Nº 6 e vence o prêmio Deutsch (19 out 1901)


Em 1898, o brasileiro Alberto Santos Dumont mudou-se para a capital francesa com o propósito de se tornar aeronauta. Logo que chegou, mandou fazer um pequeno balão esférico, de seda japonesa - o Brasil, com o qual voou com sucesso. Depois dessa experiência, resolveu encarar o maior desafio daquele momento: conferir dirigibilidade ao engenho, para que não voasse apenas ao sabor do vento. Assim, em setembro daquele ano, Santos Dumont construiu seu primeiro dirigível, que chamou de Nº 1. Ele tinha um motor a explosão (foi o pioneiro ao desenvolver dirigíveis usando motor à gasolina, mais leve que os motores a vapor ou eletricidade empregados na época, contrariando as opiniões da época de que um balão de hidrogênio não poderia usar um motor assim.) e possuía um balonete de ar para manter a pressão interna e o formato de charuto do balão. Com a força do motor, o novo veículo podia se movimentar contra o vento. E, através de um sistema de pesos e contrapesos, mudava de direção. Para evitar que as fagulhas do motor entrassem em combustão com o hidrogênio, Santos Dumont virou o cano de escape para baixo e pendurou-o bem distante do balão. O seu balão nº 2, de 25 metros de comprimento, era provido de um motor de 1,5 CV de potência, pesando 30 kg, o qual girava uma hélice a 1.200 rotações por minuto. O nº 2 deslocava-se de forma lenta mas controlada na direção em que o brasileiro lhe apontava. No dia 19 de outubro de 1901, o cobiçado Prêmio Deutsch, no valor de 100.000 francos, foi conquistado por Santos Dumont.

"O sonhador tem sempre uma nuvem a transformar. A nuvem nos ajuda a sonhar a transformação."

Gaston Bachelard